Escolha uma Página

BATE COM O PÉ, XAXADO

xaxado

Lá vem Sabino;
Mais Lampião;
Chapéu de palha;
Fuzil na mão….

Verso popular cantado e exaltado desde os anos 20 em todo Nordeste. Ele nos remete aos tempos do Cangaço, sobretudo a Virgolino, o Lampião. E a ele, vem sendo atribuída a invenção da dança, quando na verdade, o Xaxado vem bem antes. Após Lampião ter assumido o comando do bando de Senhor Pereira em 1922, o Xaxado, tomou impulso. Daí, a distorção.

No início, não havia mulheres no bando e os cangaceiros usavam o rifle como “dama” e também para marcação dos pés batendo no chão. Em fila indiana, o da frente “tirava o ponto” geralmente insultando a polícia ou enaltecendo as bravuras da turma. Só a partir de 1926, o grupo do cangaceiro Medalha inovou a coreografia colocando o bando em dois grupos frente a frente como fossem se enfrentar. Aos poucos, outros passos foram chegando, bem como as mulheres, a partir dos anos 30. Luiz Gonzaga contribuiu e muito, na divulgação.

Hoje, os passos são muitos e vários grupos de Xaxado estão espalhados pelo Nordeste e até festival tem, sendo o mais famoso o de Serra talhada, berço de Lampião.

Entretanto, a sua origem permanece controvertida: no xaxar do feijão (quebra da bagem para soltar os grãos), ou nos rituais indígenas na dança em círculos e com batidas nos pés. O folclorista Câmara Cascudo aposta nessa última versão. O Xaxado é a maior herança cultural que o Cangaço nos deixou. Ele, é igual a Lampião, não basta viver, mas estudá-lo.







Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *