Escolha uma Página

ELA MERECE UM BRINDE!

espumante

Viúva aos 27 anos de idade e com uma filha de 6 anos, a francesa Nicole Clicquot, nascida em 1777 em Reims, se viu obrigada a continuar a fabricação de vinhos iniciada pelo marido. Tinha tudo para ficar confinada em casa entre sala e cozinha, como era a regra do início do século 19. Além do mais, tinha pai rico. Mas Nicole possuía o tino de mulher de negócios adormecido. Decidiu assumir a vinícula do marido pondo em prática seu talento revelando audácia e coragem.

Em pouco tempo, ela não só dominava a fabricação, como introduzia inovações, a exemplo de armazenar as garrafas de cabeça para baixo que permitia a eliminação dos resíduos da levedura. Inventou também a remuage (remoer os resíduos da bebida para não deixá-la turva). Estava criado um novo espumante. O seu vinho, o Clicquot, suave e borbulhante caiu no gosto dos soldados estrangeiros que lutavam na França e eles ajudaram a divulgar a bebida. O champanhe passou a ser chamado de Veuve Clicquot (viúva Clicquot). Ganhou fama e Nicole tornou-se mulher influente e rica.

E mais: criou o sistema de distribuição de lucros entre os funcionários (o atual PPL), o que mantinha a fidelidade deles, sobretudo os segredos da fabricação com 160 mil garrafas/ano.

Nicole Clicquot morreu em 1866, aos 89 anos de idade em seu castelo renascentista em Boursault. A empresária transformou o espumante em bebida de luxo e até hoje, mais de 300 anos depois, ele existe com o mesmo rótulo na cor laranja. Um glamour. Um brinde a Nicole!







Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *