A FEMINISTA BERTHA

nov 18, 2020 | 0 Comentários

 

 

Na eleição do dia 15, o número de mulheres candidatas aumentou. Algumas foram eleitas e o eleitor de modo geral, não percebeu que a chegada delas vem de um trabalho realizado há 84 anos, por uma brasileira chamada Bertha Lutz.

Bertha estudou Ciências Naturais na Universidade de Sorbonne, Paris. De volta ao Brasil, passou no concurso público para o Museu Nacional do Rio de Janeiro. Era o ano de 1919. Criou a Liga de Emancipação Intelectual da Mulher e deu início a uma campanha visando direitos jurídicos iguais para ambos sexos.

Em 1922, representou o Brasil na Assembleia Geral das Mulheres Eleitoras nos Estados Unidos. A mulher teria o direito ao voto. Trouxe essa ideia e fez campanha nesse sentido, na qualidade de deputada na Câmara Federal até que o então presidente Getúlio Vargas assinou o Decreto, mas só entrando em vigor em 1936.

Defendeu ainda, além do voto feminino, mudança na legislação referente ao trabalho das mulheres e dos menores de idade propondo salário igual para trabalho igual, licença maternidade de três meses etc.

Sendo ativista política pioneira, abriu caminho para as mulheres que ingressaram na política, sob o slogan “Feministas graças a Deus”.

Berta nasceu em São Paulo em 1894 e morreu no Rio de Janeiro em 1976.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *