A PRESENÇA DELAS

abr 7, 2021 | 0 Comentários

“Essas mulheres vieram para estragar o Cangaço”, desabafou Balão, um dos cangaceiros mais valentes do Bando de Lampião. Elas alteraram os costumes do grupo, como provocar mais higiene, reduzir a violência, participar das caminhadas nas caatingas, enfrentando os mesmos perigos dos ataques dos animais e das volantes etc, em pé de igualdade com seus companheiros. A leitura de Balão não prosperou. E as mulheres cangaceiras, se assim, podem ser chamadas, demostraram o contrário. Que diga Dadá, mulher de Corisco que foi apelidada de Sussuarana, que vem a ser uma espécie de onça parda valente. Existe também a cobra com mesmo nome. Ela mata a presa de arroxo. Pois bem, Dadá atirava muito bem, comandou e enfrentou um ataque dos volantes sem fazer feio. Todas eram corajosas, alegres, jovens e bonitas. Os seus companheiros ficavam envaidecidos em vê-las bem vestidas e com muitas joias, além de perfumadas. Iam dormir no chão das caatingas sem saber que no dia seguinte estariam vivas. As cangaceiras que viveram nos aos 30, nos sertões, deixaram suas pegadas das alpercatas de couro nas terras secas e arenos Sertão nordestino.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *